O que é a taxa Selic e como ela afeta o mercado de imóveis?

Comprar o próprio imóvel é o sonho de boa parte dos brasileiros, mas além de encontrar o ideal junto à imobiliária em Balneário Camboriú ou, outra cidade de sua preferência, por exemplo, é fundamental ter um bom planejamento, principalmente para quem pretende realizar o financiamento. Nesse sentido, um item que impacta diretamente o mercado imobiliário é a taxa Selic, que ficou ainda mais famosa com a pandemia do COVID-19 e as mínimas históricas. 

Contudo, ainda assim, muitos não sabem de fato o que ela é e como influencia na compra de imóveis. Então, pensando nisso, preparamos o post de hoje para falar tudo o que você precisa saber sobre a taxa Selic e como ela junto aos financiamentos de bancos como a Caixa Econômica Federal ou Santander, Banco do Brasil, Bradesco, Itaú, entre outros, influenciam no poder de compra de imóveis em geral.

O que é a taxa Selic?

Selic é a sigla para Sistema Especial de Liquidação e Custódia, ou seja, é a taxa básica de juros. Sendo assim, é ela quem influencia todas as taxas de juros do Brasil e seu valor é definido nas reuniões do Copom (Comitê de Política Monetária). 

Vale lembrar ainda que ela é utilizada como base para os empréstimos feitos pelos bancos, assim como nas aplicações realizadas por eles em títulos públicos federais. 

Como a taxa Selic influencia a economia do Brasil?

Um dos principais desafios de qualquer governo é manter a inflação relativamente estável, que costuma ser percebida no dia a dia, quando os preços aumentam de forma geral. Portanto, vale ressaltar que os preços não sobem somente porque os itens ficam mais caros, mas sim pelo fato de a moeda começar a valer menos do que valia antes.

Por mais que existam diversas variáveis econômicas envolvidas nessa questão, em resumo, a taxa Selic é uma ferramenta utilizada pelo Banco Central para manter a inflação sob controle. Então, para isso, as decisões do Copom são baseadas na análise de indicadores como o IPCA, por exemplo, que mede a inflação em um certo período de tempo. 

Portanto, de acordo com os resultados do IPCA, o Copom aumenta ou diminui a Selic para evitar que a inflação saia do controle, como aconteceu entre as décadas de 80 e 90. Isso quer dizer que o aumento da Selic segura a inflação e isso acontece porque uma das principais variáveis que influenciam esse aspecto é a quantidade de dinheiro que circula na economia. Sendo assim, quando a Selic aumenta, os empréstimos e financiamentos também seguem essa linha.

Então, quando eles ficam mais caros, a população reduz o consumo, principalmente quando falamos de bens com preço mais elevado, como é o caso dos imóveis.

A taxa Selic e o mercado imobiliário

Até o ano de 2021, devido à pandemia do COVID-19 e outras questões, a Selic estava caindo constantemente, chegando a alcançar o patamar mais baixo da história: 2%. Inclusive, esse foi um ótimo momento para o mercado imobiliário, visto que registrou recorde de vendas nesse período. 

Contudo, em abril de 2021 esse cenário começou a se inverter com o aumento da Selic. Mas assim como acontece com toda medida econômica, o impacto levou um certo tempo para ser sentido. Então, com o custo dos financiamentos mais altos, o volume de vendas reduziu em comparação com os anos anteriores.

Entretanto, devemos deixar claro que a alta da Selic não é algo totalmente ruim, visto que sempre haverá pessoas dispostas a comprar e investir em imóveis. Inclusive, é uma ótima pedida para quem sabe negociar.

O Que é a Taxa SELIC

Como a taxa Selic é determinada?

Como falamos, a Selic é estabelecida pelo Copom, que se reúne dois dias seguidos em oito encontros anuais, baseando-se no contexto atual e nas expectativas futuras sobre a economia brasileira.

Via de regra, ao aumentar a taxa básica de juros, o Copom tem como objetivo frear a inflação. Afinal, como já explicado, devido ao aumento dos juros as pessoas tendem a comprar menos e empresas também preferem segurar os investimentos e solicitar menos empréstimos. Como consequência, a atividade econômica é menor, o que pode reduzir a pressão inflacionária. 

Além disso, a taxa Selic também pode ser reduzida e isso é realizado para aquecer a economia. Isso porque, dessa forma, os juros de empréstimos são reduzidos, assim como os rendimentos pagos por aplicações financeiras. Dessa forma, o consumo das famílias é estimulado, assim como o investimento de organizações na produção. 

Então, como você viu, a Taxa Selic é a taxa básica de juros, sendo usada como base para empréstimos e financiamentos de instituições financeiras, entre outras coisas. Definida pelo Copom, ela pode subir ou baixar e isso irá depender da situação econômica do país e das necessidades do momento. Na pandemia, ela atingiu o menor patamar da história e isso foi muito positivo para o mercado imobiliário. 

No entanto, devemos ressaltar que mesmo estando alta atualmente, isso não é algo ruim. Isso porque, há uma menor movimentação e consequentemente, maior abertura para negociações. Sendo assim, para quem quer investir em imóveis, essa é uma excelente oportunidade para garantir bons retornos no futuro. 

Leia também:

Habitalçao Caixa
Caixa Seguradora
Caixa Tem

Alessanderson Dubecker

A missão do Quero Telefone: Um mundo onde a experiência do cliente tem um impacto positivo e sustentado em indivíduos, organizações, sociedade e no bem-estar econômico do Brasil.